ATELIER

O primeiro passo na produção do santo é a criação do modelo original. No passado, o atelier dispunha de uma sala somente para os escultores, que trabalhavam em barro ou talha de madeira os modelos solicitados.

O que se acostuma a fazer hoje é aplicar modificações aos modelos já existentes. Desta forma aproveitam-se imagens antigas para fazer outras novas, mudando apenas os atributos, alguns fragmentos ou as cores. Existe também um serviço externo para criar novos modelos em talha de madeira. /p>

 

MODELO

À partir do modelo original obtemos um primeiro molde que vai ser a base para fazer uma reprodução em série.

Estes moldes se seguram com um contramolde que chamamos de “charpa”. As “charpas” são feitas em pasta, serapilheira e madeiras que servem de reforço. Normalmente se fazem 2 “charpas” e 2 moldes para cada imagem, que representam o negativo da parte da frente e da parte das costas da imagem (veja o desenho).

L'art cristià

Além disso, se a imagem apresenta partes complicadas, a moldagem destas partes é feita por separado e estas partes são acrescentadas depois. Por exemplo, se uma imagem está com o braço levantado, sobressaindo do resto da imagem, acostumamos a moldar o braço numa peça aparte e o colamos depois na imagem. Sobre o contramolde se faz um outro molde de gelatina, que é o que vai servir para reproduzir a imagem. O que fazemos é reproduzir o molde com um material de gelatina que permita criar imagens em série. Cada molde permite fazer entre 3 e 9 imagens. Depois é necessário fazer um novo molde de gelatina.

Sobre la xarpa es fa un altre motllo de gelatina, que és el que servirà per reproduir la imatge. El que es fa és reproduir el motllo amb un material de gelatina que permeti crear figures en sèrie. Per cada motllo es poden fer de 3 o 9 figures i després s'ha de tornar a fer el motllo de gelatina.

O material utilizado é a gelatina industrial. Ela é esquentada ao banho-maria, decantada no molde e deixada esfriar até solidificar e ficar como um plástico brando. A gelatina é reciclada, por tanto podemos falar de um processo que é respeitoso com os conceitos meio ambientais.

L'art cristià

 

MOLDAGEM

Quando o molde de gelatina está pronto, o seguinte passo é moldar a imagem em pasta de madeira. Por tanto, o molde de gelatina é recoberto com a pasta de madeira, tentando que não fique cheio demais para evitar um peso excessivo.

Quando a primeira camada fica seca, damos uma segunda camada misturada com serapilheira e, no caso de imagens grandes, reforçada com dados de madeira. A seguir colocaremos pasta em volta das duas partes do molde e vamos fechá-lo.

L'art cristià

Quando a pasta fica seca, é extraída do molde de gelatina e obtemos a imagem sem polir: se observam as junções dos dois lados e, em muitos casos, ainda falta colocar os fragmentos moldados separadamente. A mesma gelatina é usada para fazer os moldes e também a imagem.

L'art cristià

 

RETOQUE

A imagem de pasta de madeira tem que se polir e finalizar. Isto é feito na sala de retoque, onde os operários afinam os contornos e colocam os olhos de vidro e todos os fragmentos separados.

O trabalho que se faz nesta sala é o mais ingrato de todo o processo, porque uma imagem pode ser revisada dez vezes e sempre vai se encontrar algum defeito. Esta tarefa não é percebida quando a peça está acabada, mas é muito importante. Para que vocês possam ter uma ideia, aproximadamente a metade dos 35 trabalhadores está nesta secção. As ferramentas utilizadas são, fundamentalmente: papel de vidro, guivas e pasta.

 

PINTURA

O processo de pintura é manual. Mas todas as imagens recebem previamente uma primeira camada com aerógrafo para impermeabilizar a figura e permitir dar maior mobilidade ao pincel. Este processo recebe o nome de “encarnado”.

As pinturas utilizadas são geralmente ao óleo (com aguarrás) e, em alguns modelos concretos se utilizam também pinturas plásticas.

O processo de adornado da imagem é completado dependendo da classe. Acrescentam-se os atributos (bengalas, galhos, etc.), a coroa e a imagem fica pronta para ser entregue ao cliente.

 

LINHA MODERNA

Linha moderna

Os materiais desta linha foram todos testados quanto à resistência e dureza para garantir que as estátuas resistam as inclemências.

As estátuas feitas com estes materiais são produzidas a partir dos 60cm e não têm nem auréola nem olhos de vidro.

Os materiais e os retoques nos acabamentos são os seguintes:

Resina

Composição do material: resina de poliéster com carbonato de cálcio.
Acabamento: banho electrolítico de liga de cobre e outros metais, e pátina de bronze.
As estátuas podem ser de entre 60 e 120cm.

Fibra de vidro

Este material suporta perfeitamente a intempérie. As estátuas que podem ser feitas com ele medem entre 60 e 200 cm e não levam auréola nem olhos de vidro.
Composição do material: resina de poliéster gelcoat e fibras de reforço.

Acabamento: pintura, esmalte mate com água não tóxico e de grande dureza e resistência.

Fibra de vidre natural Fibra de vidro natural Fibra de vidre decoració ciment Fibra de vidre decoració ciment
Marbre Mármore Fibra de vidre decoració pedra Fibra de vidro efeito pedra
Resina bany de bronze Resina banho de bronze
 

TALHA DE MADEIRA

Esta linha quer ser uma homenagem aos grandes escultores que têm colaborado com a nossa empresa ao longo destes mais de 125 anos (Llimona, Blay, Devesa, Ache, Trayte e muitos outros).

Com esta linha oferecemos a possibilidade de realizar em madeira talhada qualquer um dos nossos modelos de mais de 60cm, adornados sem auréola nem olhos de vidro.

A característica mais importante destas esculturas é a importância que se dá ao trabalho de talhar, assim como a pouca intervenção da máquina.

O adornado pode gerar três efeitos diferentes:

  • Madeira natural
  • Antiga em cores por transparências
  • Extra engessada com ouro e cinzelada
 

ADORNOS

  • 3N ECONÔMICO

    A base do adorno são as cores lisas. Nas bordas do manto e da túnica, um sutil fio de purpurina. O pedestal é decorado e envernizado. Este tipo de adorno é utilizado até os 70 cm.

  • 2N FINA

    Sobre a base da classe 3N, as vestimentas são lavradas com claros e escuros, com sanefas de purpurina sem esculpir. Os pedestais são adornados com efeito mármore e envernizadas. A coroa é de maior qualidade.

  • 12A ANTIGA

    Adornado com base em cores fortes e pátina, como se via nas talhas antigas. Enfeites com as mesmas pinturas ao óleo.

  • 12M MADEIRA

    Neste adorno destaca a cor da pele, que é natural e com uma pátina esmerada. As roupas são adornadas com efeito madeira.

  • 1N SUPERIOR

    Sobre a base da classe 2N se realiza um esmerado retoque e uma maior pulcritude na pele. As sanefas são de ouro polido e cinzeladas. A coroa é de qualidade superior à da classe 1N.

  • 1P POLICROMADO

    Distingue-se da classe 1N no aspecto de marfim das maquiagens. As vestimentas são de folha de ouro antigo e patinado. A qualidade da coroa é parecida com a classe 1N.

  • 4N EXTRA

    Sobre o adornado 4E, as roupagens oferecem belos desenhos feitos com cinzel, imitando um tecido de seda com fios entretecidos de ouro ou prata, e também ricos bordados. Pedestal dourado, polido e cinzelado. Coroa de qualidade superior.

  • 4E ESPECIAL

    O adorno das roupas é laminado com ouro e com suas cores características. O pedestal é dourado, polido e cinzelado. A coroa é de qualidade superior.